Antes de crer, você pertenceu.

Quando tratamos assuntos importantes na Bíblia, precisamos ser como Maria. “Maria, porém, guardava todas essas coisas e sobre elas refletia em seu coração. ( Lucas 2. 19 ). Primeiro, ela tomou nota de coisas importantes e as colocou em um lugar seguro – o coração dela. Em segundo lugar, seus pensamentos “examinavam” sobre eles. Mas oh, quão poucas pessoas fazem isso quando lêem o Evangelho de João e encontram declarações estupendas sobre a soberania de Deus em nossa salvação! Posso chamar sua atenção para alguma delas, e observarmos juntos para que você possa refletir. Pois não são menos importantes do que a mensagem dos anjos a Maria.

Vamos começar com a oração de Jesus em João 17: “Eu manifestei o seu nome para as pessoas que você me deu no mundo. Eram seus, e você os entregou a mim… Estou orando por eles. Eu não estou orando pelo mundo, mas por aqueles que você me deu, porque eles são seus” ( João 17. 6, 9 ).

Aqui estão duas declarações estupendas. Uma é que Deus deu discípulos a Jesus. A outra é que antes que ele os entregasse a Jesus, eles já eram dele. Por um momento, como Maria armazene isso em um lugar seguro.

“estar disposto a vir a Jesus não é algo que Deus vê em você, mas algo que Deus trabalha em você”.

Jesus estava orando por cada crente

Pensemos nisso por um momento. Em João 17: 8 Jesus estava orando por aqueles que creram nele, e por aqueles “que crerão nele através da sua palavra” ( João 17. 20 ). Em outras palavras, ele estava orando por todos nós que nos tornamos cristãos.

Portanto, o que ele diz sobre os que pertencem a ele, sobre nós. Deixe ser pessoal. Como é que você veio a pertencer a Jesus? Nos versículos 6 e 9, Jesus diz que é porque Deus o Pai “deu” você a Jesus. E como é que o Pai poderia dar ao seu Filho? Jesus responde no versículo 9: “porque você já pertencia ao Pai”.

Será que tudo pertence ao pai?

O que significa pertencer ao Pai antes de ser dado a Jesus? Significa simplesmente que Deus possui todos os seres humanos, incluindo você. Você pertence ao Pai porque todos pertencem ao Pai? Não. Porque aqueles que pertencem ao Pai são aqueles que são “de Deus”, e Jesus diz em João 8. 47 que há aqueles que são e aqueles que não são de Deus. Ser “de Deus” não pode incluir todos os humanos. Então, pertencer a Deus antes de ser entregue a Jesus não inclui todos.

Quem, então? Por que isso inclui você? Por que você está entre os que pertenciam ao Pai antes de lhe entregar o Filho? Foi porque você teve alguma qualidade, e Deus viu isso e escolheu você para estar no grupo que ele daria a Jesus? Ele viu que você estava disposto a vir a Jesus ou querendo acreditar em Jesus, e, por essa razão, contava você para ser parte daqueles que eram dele?

A resposta é Não. Porque em João 6. 44, Jesus disse: “Ninguém pode vir a mim, a menos que o Pai que me enviou não o traga.” Em outras palavras, estar disposto a vir a Jesus não era, é, algo que Deus viu em você, mas algo que Deus trabalhou em você.

“Ninguém está disposto a vir a Jesus por conta própria. Somente aqueles que são atraídos pelo Pai podem vir”.

O Pai atraiu todos a Jesus?

Mas e a possibilidade de atrair todas as pessoas para si? Bem, na verdade, não, não. Ele diz de forma mais calara: “Eu, quando eu for levantado da terra, atrairei todos a mim” ( João 12. 32 ). Como assim os humanos são atraídos pelo Pai, e apenas alguns se mostram dispostos a vir? Afinal, Jesus não diz em João 12:32 que ele atrairia todos? Então, o que poderia significar pessoas que são “minhas ovelhas” ( João 10.16, 27 )… ou pessoas que são “filhos de Deus” ( João 11. 52 ), ou pessoas que pertencem ao Pai ( João 17. 6 ).

Na verdade, sabemos que Jesus não quis dizer que o atrair do Pai aplica-se a cada pessoa. Ele disse: “Ninguém pode vir até mim, a menos que o Pai que me enviou o atraia.” O motivo pelo qual sabemos isso é que mais tarde no capítulo, Jesus explica explicitamente o seu significado. Ele diz: “há alguns de vocês que não acreditam.” (Porque Jesus sabia desde o início quem não acreditava nele e quem era o traidor). E ele disse: “É por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a menos que lhe seja concedido pelo Pai” ( João 6. 64-65 ).

“Antes de ouvirmos a verdade, antes de nos atrair para o Filho, antes de acreditarmos, pertencemos ao Pai”.

Essa é uma explicação do versículo 44 do capítulo 6 de João. Ele mostra Judas como um exemplo de alguém que não acreditaria. Então ele explica a incredulidade de Judas com as palavras: “É por isso que ( versículo 44 ) eu lhe disse que ninguém pode vir a mim, a menos que lhe seja concedido pelo Pai”. Em outras palavras, Judas não acreditou porque “não pôde vir até mim, porque isso não foi concedido pelo Pai “. Ou usando as palavras de João 6. 44 que Jesus está se referindo, “o Pai não atraiu Judas”.

O que significa que todos os humanos não são atraídos pelo Pai para Jesus. Judas não era. E, portanto, estar disposto a vir não é algo que Deus encontra em todos os humanos, mas algo que ele coloca em seres humanos. O que significa que Deus não escolheu um grupo de seres humanos como seu, porque viu neles uma vontade de vir a Jesus. Seja qual for a vontade que os humanos têm de vir a Jesus, essa não é a base , mas o resultado de pertencer ao Pai de antemão.

Em outras palavras, Deus escolheu você para lhe pertencer gratuitamente. Por um ato de graça. Você não tinha condições de escolher Deus. Não estávamos dispostos a vir. Nós amamos a escuridão e odiamos a luz e não chegaríamos à luz ( João 3. 19-20 ). Apesar de saber disso sobre nós, Deus escolheu alguns amantes da escuridão para ser dele. E então, para nos salvar de nossa rebelião e culpa, ele nos deu a Jesus ( João 17. 6 ).

Qual é a nossa segurança no Pai?

O que, então, podemos esperar – nós, a quem foi dado a Jesus pelo Pai? Jesus nos diz: “Todo o que o Pai me dá virá a mim, e quem vier a mim nunca o expulsarei” ( João 6. 37 ). O Pai que nos dá a Jesus assegura nossa vida nele. Os que ele deu a Jesus virão. E quando chegamos, Jesus nos recebe – para sempre. Ele nunca nos expulsará. Em vez de nos expulsar, ele morre por nós para que possamos viver. “Eu sei quem é meu e quem é meu, conhece-me… e eu dou a minha vida pelas ovelhas” ( João 10. 14-15 ). Nenhum dos filhos se perderá. Todos nós seremos ressuscitados dentre os mortos. “Esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não perca nenhum daqueles que me deu, mas os ressuscite no último dia” ( João 6.39 ).

“O Pai nos deu Jesus… o que assegura nossa vida. E quando chegamos, Jesus nos recebe – para sempre. Ele nunca nos expulsará.”

Tudo isso é certo porque, antes de pertencer a Jesus, pertencemos ao Pai. Antes de ouvir a verdade, pertencemos ao Pai. Antes de acreditar, pertencemos ao Pai. Antes de nos atrair para o Filho, pertencemos ao Pai. E antes que estivéssemos dispostos a acreditar, pertencemos ao Pai.

E isso fez toda a diferença! Por pertencer ao Pai, ouvimos a verdade; e porque pertencemos ao Pai, acreditamos; e porque pertencemos ao Pai, fomos atraídos por ele para Jesus; e porque pertencemos ao Pai, estamos dispostos a acreditar.

Posso incentivá-lo a colocar essas verdades dentro do baú do tesouro do seu coração e fazê-lo pensar sobre eles? Transforme a oração de Jesus em sua própria oração muito pessoal. Jesus orou: “eles eram seus, e você me entregou” ( João 17. 6 ). Você pode orar: “Pai, eu era seu, e o Senhor deu Jesus a mim. Como eu vim a ser seu? Graça. Toda graça. Absolutamente a graça incondicional. Que todas a Escritura nos ajudem a ponderar esta realidade inesgotável – para sempre.

#BemVindoAoEvangelho

Sobre o autor:  ( @JohnPiper ) é fundador e professor de desiringGod.org e chanceler de Belém faculdade & Seminary. Por 33 anos, ele serviu como pastor da Igreja Batista Bethlehem, Minneapolis, Minnesota. Ele é autor de mais de 50 livros.

Texto traduzido e adaptado: Eduardo Fagundes Oliveira

Fonte: www.desiringgod.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *