Os Cinco Solas e eu

31 de Outubro de 1517, um homem chamado Martinho Lutero vai até a igreja do castelo de Wittenberg e em forma de protesto, prega 95 teses escritas por ele mesmo na porta do castelo. Naquele momento, Lutero não estava interessado em refutar as heresias católicas. Sua preocupação era com a Verdade; ele não tinha a pretensão de mostrar os erros daqueles homens meramente por mostrar; antes, queria Lutero que, do mesmo modo em que ele se
maravilhou com a verdade das Escrituras ao ler: “O justo viverá pela fé” (Romanos 1.17), outros também se maravilhassem com a beleza da verdade vinda diretamente do próprio Deus, pela Escritura.

Além disso, é necessário que lembremos de homens que entregaram suas próprias vidas para que a verdade fosse anunciada. John Huss, por exemplo, viveu cerca de cem anos antes de Lutero e não se dobrou diante da mentira. Huss disse: “Prefiro ofendê-los com a verdade do que mata-los com a mentira.” De fato, Huss se entregou pela verdade e em 1415 foi morto pela igreja católica, queimado vivo. Esse é o preço que Huss pagou por defender a
verdade.

Depois de um agir tão visível e claro de Deus na vida do seu povo e diante de um cenário totalmente oposto e avesso ao verdadeiro cristianismo, foi necessário que o povo de Deus sintetizasse os pilares centrais da fé e de forma unanime, declarasse o que acreditava. Eis que surgem os chamados “5 Solas”. Sendo assim, a igreja de Cristo entoava cinco verdades essenciais e primordiais para a verdadeira fé.

31 de Outubro de 2017, data em que completamos 500 anos da Reforma Protestante, trazemos aqui uma reflexão importante sobre os cinco “solas”. Neste e-book é observado os cinco “solas” como resultado da Reforma e na vida prática do cristão. Basta somente professar os cinco “solas”?  Quais os efeitos dos cinco “solas” em sua vida? Baixe, leia e compartilhe clicando no link: Os cinco Solas e eu 

#BemVindoAoEvangelho

Sobre o autor: Clinton Ramachotte, 24 anos, casado com Natali Ramachotte, seminarista e membro da igreja Batista no Jardim Independência em Ribeirão Preto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *