A PAIXÃO PENTECOSTAL

A Festa da Colheita, que a partir do domínio Grego, ficou conhecida como Pentecostes, acontecia cinquenta dias após a páscoa. Durante esse período, judeus, tementes a Deus, de diversas nações, viajavam para Jerusalém.

Foi durante essa festa que a promessa feita por Jesus (Atos 1. 5,8) se cumpriu. O profeta Joel também havia predito o fato (Joel 2.28). O texto narra que um som como de um vento muito forte encheu a casa que os discípulos estavam. Eles viram o que parecia línguas de fogo que pousavam sobre eles. Então, eles ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outros idiomas conforme o Espírito lhes capacitava (Atos 2.1-5).

Ouvindo o barulho, todas as pessoas, das diversas nações que estavam ali representadas, foram ver o que estava acontecendo. Todos eles ouviram sobre as maravilhas de Deus em sua própria língua (Atos 2.6-11). Alguns ficaram atônitos e outros zombavam da situação (Atos 1.12-13). Porém o grande ponto em questão era: “…Nós os ouvimos declarar as maravilhas de Deus em nossa própria língua” (Atos 2.11). Após o fato, Pedro pregou a palavra e cerca de três mil pessoas foram convertidas a Cristo (Atos 2.41).

O pentecostes foi marcado pelo fato de pessoas de diversas nações ouvirem o evangelho de Cristo. Logo, proponho que “paixão pentecostal” é o empenho e desejo de anunciar o evangelho aos povos não alcançados.

É desejo de Deus que todos seus seguidores e as igrejas locais vivam a paixão pentecostal. Em Gêneses 22.17-18, Deus promete a Abraão que por meio da sua descendência todas as nações seriam abençoadas. O Apóstolo Paulo faz uma interpretação dessa passagem afirmando que a bênção que alcançaria todas as nações era a justificação em Cristo (Gálatas 3.8,14). Jesus ordenou que fizéssemos discípulos em todas a nações. O motivo é simples: o propósito de Deus é salvar pessoas de toda tribo, língua, povo e nação (Apocalipse 5.9). Se Deus é missionário, cabe à sua igreja viver a missão.

O enchimento do Espírito experimentado em Atos 2, levou aqueles irmãos a um ato missionário. O pentecostes é um chamado a tornar Deus conhecido aonde ele ainda não é. A igreja de Antioquia nos ensina como se dá a paixão pentecostal ao obedecerem o Espirito Santo e separarem Barnabé e Paulo para uma viajem missionária (Atos 13.1-3).

Como saber se sua igreja local experimenta dessa paixão? Segue algumas questões que podem auxiliar nessa reflexão. Caso a resposta para a maioria desses questionamentos seja “não”, significa que vocês não vivem a paixão pentecostal.

  • Sua igreja enviou algum missionário nos últimos 5 anos?
  • Sua igreja sustenta algum missionário em campo transcultural?
  • Sua igreja dedica tempo em oração pelas nações não alcançadas?
  • Sua igreja busca constantemente saber notícias dos campos missionários?
  • Em sua igreja você houve com frequência pregações com um viés missional?
  • Sua igreja envia missionários para projetos de curto prazo?

Em Apocalipse 7.9-10, pessoas de todas as nações, tribos, povos e línguas, adoraram ao cordeiro. Isso significa que Deus cumprirá sua promessa. Cabe a você e sua comunidade cristã local, fazerem parte disso. Jesus não chamou a igreja para ser testemunha somente em sua cidade, mas para alcançar, também, os confins da terra (Atos 1.8). Toda igreja local deve viver a paixão pentecostal.

 


Sobre o autor: Lucas Ramos Pereira é Bacharel em Teologia pela FBMG e pós-graduando em Teologia e Interpretação Bíblica pela FABAPAR. Atualmente atua como Coordenador de Missões da JUBAM (Juventude Batista Mineira). Também é pastor da Primeira Igreja Batista em Vila Pilho, Belo Horizonte/MG.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *