REFORMA, TRINDADE E OS GENERAIS DA FÉ

Certa vez um pastor, presente na mídia, disse: “Deus perdoa pecados contra sua santidade mas eu nunca vi na Bíblia Deus perdoar pecados contra sua autoridade”[i]. Ele estava defendendo que todo cristão precisa estar submetido a uma autoridade espiritual. Infelizmente muitos pastores têm ensinado isso para os fiéis, usando da sua influência para manipulação dessas pessoas. Porém a Reforma Protestante dá um “tapa de luva” nos generais da fé e na doutrina da “autoridade espiritual”. O ensino do Sacerdócio Universal incomodou os cobradores de indulgencias no período da Reforma e incomoda esses que dizem trazer a “cobertura espiritual” sobre os seguidores de Jesus.

O Sacerdócio Universal dos Santos está entre as principais doutrinas da Reforma Protestante. Esse ensino se divide em dois aspectos:

1) Jesus de Nazaré é o grande sumo sacerdote
Jesus é o único mediador entre Deus e os homens (1 Tm 2.5). Ele é o sacerdote e o sacrifício. Ele é o representante dos homens diante de Deus (Hb 2.17; 3.1; 4.14s; 5.10; 6.20; 7:24-27; 9:12,26; 10.12).

2) Todos os salvos partilham desse sacerdócio
Todos os salvos podem chegar diante de Deus e interceder pelo seu próximo. Assim como o sumo sacerdote podia entrar no santo dos santos nos ritos do templo, nós podemos nos achegar a Deus (Hb 10.19-20; 1Pe 2.9,10; Ap 5.9-10).

Esse ensino pode ser libertador para aqueles vivem sobre a opressão das “autoridades espirituais”. Esses líderes, exigem submissão total dos fiéis. Eles se colocam como portadores da mensagem de Deus para igreja. Qualquer discordância de suas opiniões, é taxada como rebelião à vontade de Deus. A partir do Sacerdócio Universal dos Santos, percebemos que isso é um erro.

Todos somos sacerdotes. Você não precisa de mediadores ou coberturas espirituais humanas, pois somente Cristo pode ocupar esse posto. Não confie nos “grandes homens da fé”, confie em Jesus de Nazaré. Nenhum homem pode ser sua cobertura espiritual, essa posição cabe somente ao Messias.

Diante do exposto você ainda pode se questionar: como deveria ser a relação entre ovelha e pastor? Creio que a doutrina da Trindade nos ajuda a entender como se dá essa relação na prática[ii]. Ela tem muito a nos ensinar quanto aos relacionamentos. As três pessoas (Pai – Filho – Espírito Santo) são plenamente Deus, iguais em poder, e da mesma essência. Porém quando observamos a Trindade em sua economia, percebemos em vários momentos o Filho se subordinando ao Pai (Jo 4.34; 6. 38; 10.18; Mt 26.42). Em João 16. 13-14, Jesus afirma que o espírito viria para glorifica-lo. Jesus suportou os sofrimentos para glorificar ao Pai (João 13.31-32). Assim como o Filho glorifica o Pai, o Espírito Santo glorifica o Filho. Nota-se aqui a trindade sendo glorificada por si mesma. Por mais que as pessoas (Pai – Filho – Espírito) sejam da mesma essência, elas ocupam funções distintas na economia da salvação.

Observe que não há hierarquia, há uma diferença de funções. Assim deve se dá a relação entre ovelha e pastor. Eles são iguais, logo não existem hierarquia, o pastor não está acima da ovelha. Porém, existe uma diferença de funções. O pastor deve zelar pela vida da sua ovelha, assim como a ovelha deve cuidar e ouvir o que seu líder tem a dizer. É como ouvi um pastor dizer: “O pastor é uma ovelha chamando as outras ovelhas para ficarem de debaixo na sombra do pastor (Jesus) ”. Sendo assim, o entendimento de Hebreus 13.17 fica mais claro. Não se trata de uma obediência cega, mas de um respeito mútuo. Solus Christus.

#BemVindoAoEvangelho

 

PS: Esse é o primeiro artigo de uma série de dois artigos que tratam sobre a relação entre o pastor e ovelha. Esse artigo visá tratar dos abusos que ocorrem em alguns casos dessa relação.


[i] A citação ocorre a partir do minuto 3:50 (https://www.youtube.com/watch?v=olOye41u1eA)

[ii] Entenda melhor a doutrina da Trindade: http://bemvindoaoevangelho.com.br/2016/11/25/o-evangeliques-brasileiro-precisa-conhecer-niceia/

 

Sobre o autor: Lucas Ramos Pereira é Bacharel em Teologia pela FBMG e pós-graduando em Teologia e Interpretação Bíblica pela FABAPAR. Atualmente atua como Coordenador de Missões da JUBAM (Juventude Batista Mineira). Também é pastor da Primeira Igreja Batista em Vila Pilho, Belo Horizonte/MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *